Blog

11/08

Métodos pedagógicos para a geração Z

Professores sabem que hoje, para ganhar a atenção dos alunos, é preciso investir em um sistema de aula totalmente diferente do que era praticado há pouco menos de dez anos. Isso é decorrência da rápida evolução do mundo, que impacta diretamente no comportamento e atitudes de cada geração.
Dessa forma, é preciso investir em um novo sistema de ensino cujo foco seja a nova geração de jovens, que por terem nascido em uma época com características bastante particulares, não conseguem absorver o conteúdo didático da mesma forma como seus pais e avós faziam.

Esse fator é absolutamente normal e fácil de se explicar. Para entender um pouco mais sobre as novas tendências de ensino, primeiramente é preciso compreender as diferentes gerações que marcaram os últimos cem anos, como elas encaravam o mundo e o que influenciou a linha de pensamento de cada uma. 

Conceitos de cada geração

Geração do Silêncio 
Geração nascida entre 1925 a 1942, marcada por uma época de guerras, conflitos e de grande reestruturação da economia global. Esse cenário deu origem a uma geração de vida difícil e ditada pela estrutura paternalista, onde a regra era nunca em hipótese alguma questionar a autoridade dos pais. Daí o termo “geração do silêncio”, já que é uma geração que não se comunicava abertamente com seus familiares. 

Geração Baby Boomers 
Geração nascida de 1943 a 1960, período de pós-guerra onde soldados recém-chegados da guerra formavam famílias volumosas . Essa seria a primeira geração a fazer uma diferenciação entre infância e fase adulta, o que lhes possibilitou explorar a juventude. Dessa forma, foram denominados também como Geração EU. Essa geração foi marcada pelo respeito aos valores familiares, a disciplina na escola e no trabalho. Nesse período, os jovens ainda respeitavam qualquer autoridade estabelecida, uma vez que contestar significava receber severas punições. 

Geração Baby Buster 
A queda brusca da taxa de natalidade ocorrida no período entre 1961 a 1981 deu origem à geração denominada como Baby Buster, marcada pelo movimento hippie que se contrapunha às guerras e pregava o amor universal. Essa geração também ficou conhecida como geração X, marcada pelo pragmatismo e autoconfiança. A geração X dava ênfase à experiência e não acreditava mais na hierarquia tradicional. 

Geração Y 
Também conhecida como geração da internet, a geração Y é constituída por jovens que nasceram após 1979, período onde os avanços tecnológicos e de mercado explodiram. Essa geração nasceu em meio à revolução tecnológica e pôde acompanhar mudanças radicais na forma ver o mundo e de se comunicar. Essa geração é mercada pelo desejo constante de conciliar lazer e trabalho, associando a tecnologia e novas mídias. Outra característica é que na geração Y, o relacionamento familiar, profissional e social se difere completamente das gerações anteriores, com liberdades de se expressar e se comportar que nenhuma outra geração anterior pôde experimentar. 

Geração Z 
Foco desse artigo, a geração Z designa o grupo de jovens que já nasceu dentro do boom tecnológico. Eles encaram com naturalidade e simplicidade avanços tecnológicos que para as gerações anteriores são feitos surpreendentes. A maior característica dessa geração é que por terem nascido na pós revolução tecnologia, sua assimilação de informação se faz de forma muito mais dinâmica e em volumes muito maiores. Por um lado, isso pode se mostrar como um grande beneficio, já que esta geração tem acesso a um grande numero de mídias e informações. No entanto, essa interatividade descontrolada criou uma geração baseada no momento, cujo foco em algo dura apenas alguns minutos. Diante dessas características, é impossível que essa nova geração consiga se adaptar ao arcaico modo de ensino. 

A geração Z e o ensino 
A época em que professores entravam em sala de aula apenas para encher os quadros com conteúdo e despejavam sobre o aluno uma quantidade enorme informações exigindo apenas que ele assimilasse o conteúdo de forma silenciosa acabou. Para a geração Z, é preciso haver diálogo. Eles querem saber mais, ter detalhes, questionar e parte do processo de ensinar e aprender. Vivem no ápice do conceito de compartilhar e o fazem estudando com o celular na mão, pesquisando instantaneamente tudo que o professor lhes confia em sala de aula. 

Métodos Pedagógicos para a geração Z 
Nesse novo cenário pedagógico, a metodologia de ensino deve ser vista como um meio e não um fim, tendo o professor que estar disposto a altera-la sempre que for necessário. Para atender os anseios da geração Z, pode-se optar pela aplicação de aulas baseadas em: 

Aula expositiva 
Forma mais comum de ministrar uma aula, seu conceito até então era a de um monólogo realizado pelo professor, que via como interrupções indesejadas os questionamentos inseridos por alunos mais arrojados. Na geração Z, é preciso que o docente reveja esse paradigma e adote uma aula expositiva interativa, onde alunos e docente participem ativamente do processo de aprender e ensinar. Utilizar projeções e estar predisposto a ouvir e argumentar são excelentes meios de prender a atenção dessa geração. 

Discussão com a classe 
A discussão com a classe é a forma mais bem vista de interação com a classe Z, já que essa traz do berço a espontaneidade de dialogar de igual para igual, não importando o nível hierárquico. Aliás, a abertura para discussões se mostra como um chamativo para uma geração tão acostumada a expor o seu ponto de vista em mídias sociais. A vantagem didática desse método é que ao se preparar para uma discussão, o orador reflete sobre o tema proposto e busca a obtenção do conhecimento necessário para poder explanar suas ideias. 

Estudo de caso, dirigido ou jogos de empresa 
Metodologias que desenvolvem o senso analítico do aluno, os estudos de caso, dirigidos e jogos de empresa também são bem aceitos pela geração Z, uma vez que promovem uma dinâmica de aprendizados com fatores que se alteram durante o processo de estudo.
Mas lembre-se que o docente precisa estar disposto a se adequar a esse novo cenário do ensino. Sem uma mudança orgânica, é impossível alcançar resultados satisfatórios com alunos da geração Z. 

Qual a sua experiência com a geração Z? Conte-nos como você ministra as suas aulas no dia-a-dia deixando-nos um comentário.